Segunda-Feira, 26 de Outubro de 2020

Mais lidas da semana

31/8/2020 - Mairinque - SP

História da formação do corpo de bombeiros de Mairinque na década de 70




Corporação foi formada na década de 70 por Antonio Alexandre Gemente

 

Tarcísio Lourençon

 

Seja para um incêndio, um desastre natural ou um acidente, os Bombeiros são sempre os primeiros a serem por nós chamados, e esses valorosos profissionais, considerados heróis pela sociedade, estão sempre de prontidão para atender a qualquer chamado. Mas você sabia que Mairinque foi o primeiro município do Brasil a ter um Grupamento Municipal de Bombeiros?

Na década de 70, a Prefeitura de Mairinque se viu diante de um grande problema, os constantes incêndios florestais e queimadas urbanas, que além de poluir o ambiente, geravam muito incomodo para a população. Funcionários da própria prefeitura, muitas vezes montados em mulas, percorriam a cidade a fim de prevenir que focos de incêndio se alastrassem, disso, surgiu à necessidade de uma brigada de incêndios, pois o posto de bombeiros mais próximo era em Sorocaba.

Foi então que em 1977, na gestão Antonio Alexandre Gemente, começaram as providências para a formação de um grupamento. Há época, foram reunidos 12 funcionários e 4 voluntários, chefiados pelo Sr. Alfredo, e assim, em 1978, começaram as primeiras atividade deste seleto grupo.

Inicialmente, a sede era no pátio de veículos e almoxarifado da prefeitura, no Horto Florestal, ainda de forma muito simplória, mas já oferecia um prestativo serviço de salvamento, resgate e combate a incêndios. Em 15 de maio de 1981, criou-se oficialmente o Grupamento Municipal de Bombeiros – GMB, e com isso, os profissionais receberam treinamento, equipamentos, caminhões, veículos de menor porte e uma nova sede, próximo ao Paço Municipal.

Em 1990, os Bombeiros de Mairinque passaram por uma ampla modernização, receberam três novos caminhões adaptados, equipamentos especiais, barco, aumento de contingente, reforma da base operacional, uniformes, treinamento, rádios, entre outros equipamentos, o que fez com que o grupamento tivesse notório destaque entre as corporações do Estado de São Paulo. Em 2003, com a edição da Lei Municipal nº 2488, de autoria do então vereador José Carlos Pedrina, a sede recebeu o nome de “José Fernando Borges Pereira”, em homenagem a um altruísta servidor da prefeitura, que durante muitos anos trabalhou no Grupamento.

Frota de veículos adquiridos em 1981. Foto – Arquivo Correio do Interior

Após anos de discretos, ou quase nenhum investimento, a corporação passou por momentos críticos, e os profissionais denunciavam constantemente a falta de estrutura, efetivo suficiente, falta de equipamentos e veículos em precário estado de manutenção. Em 2014, apenas com um caminhão, e ainda quebrado, a corporação ficou marcada pelo falecimento de uma criança de 3 anos, que morreu carbonizada em um incêndio doméstico, no qual os bombeiros não tiveram condições de atender.

 

 

Essa trágica ocorrência gerou grande revolta na população e nos próprios bombeiros, que não tiveram a oportunidade de poder salvar mais esta vida. Logo, a prefeitura, administrada por Rubens Merguizo, teve que tomar providências emergenciais, mesmo que tardiamente, adquirindo um caminhão por meio de um convênio com a Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional do Governo do Estado de São Paulo.

Curiosidade: Em 2014, a prefeitura tentou formalizar a implantação de uma base do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar, encerrando assim as atividades do histórico grupamento, mas nem a população, nem a Câmara de Vereadores concordaram com esta ação, que foi abandonada posteriormente.

O último caminhão, um Chevrolet D-14000, ao invés de ser preservado como item da memória dos bombeiros, assim como é feito em tantas outras corporações que mantém até museus, foi desviado para outro setor para que trabalhasse no transporte de água, até que em 2018, sofreu um acidente por falta de freios, deixando o veículo em perda total.


Chevrolet D-14000 em renovação de frota em 1990. Foto – Arquivo Correio do Interior

Já na administração Ovídio Alexandre Azzini, o Grupamento, comandado pelo Bombeiro Nilson Evandro da Silva, recebeu uma nova caminhonete, outros veículos de menor porte, conseguiu por meio de parcerias equipamentos de proteção e combate a queimadas, ofereceu cursos de aperfeiçoamento profissional aos integrantes, entre outras ações. Atualmente, o Grupamento conta com cerca de 20 bombeiros atuantes, que desempenham atividades de combate a incêndio urbano e florestal, busca, salvamento, atendimento pré hospitalar – APH e serviços técnicos.

Se você quer conhecer os “Heróis de Mairinque” e a sede do Grupamento Municipal de Bombeiros, visitas podem ser agendadas pelo 4718-2013. Endereço: Rua Antônio Alves de Sousa nº 360, Centro.
Para emergências ou para solicitar atendimento – 199.

Fonte: Jornalismo Correio do Interior



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Mairinque Fácil.


Enviar esta notícia por email



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2020, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.